29 de abr de 2010

Produção de Textos!













Auto-retrato

Por: Edenildo Ferreira
Núcleo II - Turma B




Um ser que se expressa com o corpo
Que se movimenta dos pés ao pecoço,
Na dança se faz mexer
Este então é o artista, jeito bom de viver.


A música bate ao coração
No ritmo do forró, xote, xaxado e baião.
Dancei como mamulengo pra te convercer
E foi assim que comecei a amar você.



Pisei mazuca, coco, reizado e maracatu,
Fui pra bem longe, aprender junino com tu.
Viajei bastante pra te encontrar,
Mais um ritmo pra se dançar.


Aracajú, Recife também passei,
No carnaval de Bezerros me admirei,
Caruaru, Belo Jardim, bateu forte assim
Jamais vou esquecer a apresentação de Surubim.


Depois de tanto andar me vi num certo trevo,
Foi ai então que dancei meu frevo,
Em um certo fórum em Gravatá,
A equipe Nação Cultural veio me paraenizar.


Quando então pensei que o ritmo acabou
Na magia do circo ele me encontrou,
Como um personagem, assm a imaginar
Virei um palhaço para variar.


A Cultura sempre me chamou
E me disse bem alto, clamou!
_ Ainda tem o caboclinho pra se dançar
Sem esquecer da capoeira e o som do berimbau.


Ai de mim se dessa vida sair,
imagino a falta que vou fazer, quando partir,
Mas foi no Projovem Urbano que aprendi,
Que dentro do teatro foi que nasci.


Sem medo de alegrar me fantasiei
E em Marilyn Monroe me transformei
O dificil foi a surpresa que pude causar,
E uma bela homenahem pra minha esposa declarar.


Foi ai que vi com fé,
E quando me dei conta
O público aplaudia de pé.
Até meu camarada Flávio Passos estava lá,
Só faltou a Rede Globo pra registar.


Tem nada não,
O Professor Laércio estava lá
Com a Câmera na mão, sem deixar nada passar!


Aqui estou eu a agradecer
A todos que contribuem com a NossArt's
Família e amigos de modo geral
Agradeço a Deus por esse momento tão especial
E dizer ao fim dessa trajetória:
_ Valorizem a Cultura popular,
Pois ela é a nossa verdadeira vitória.


A Arte, chama... E o artista declama!

27 de abr de 2010

Votos de aplauso !



A Vereadora Claudiane Alves, pediu na Câmara de Vereadores, um voto de aplauso para os trabalhos desenvolvidos no Projovem Urbano de Belo Jardim, especificamente pelo projeto didático (Belo Jardim: pelas trilhas da história, marcas de batom! O grupo Mulher Ação e outras tantas Mulheres), para nós que atuamos nesse programa é motivo de orgulho receber tal horanria.

Aqui vai os agradecimentos para a Vereadora Claudiane e demais vereasdores que aprovaram o requerimento.

d@s alun@s!

d@s professor@s,

e da coordenação!


" Só engradecemos nossos direitos à vida, cumprindo o nosso dever de cidadão do mundo."
(Gandhi)

O amor ao dinheiro.

Por: Anselmo da Silva
Sala E - núcleo I



O amor ao dinheiro
Que sai dos estrangeiros
O homem pode ser famoso
No mundo inteiro
Ter muitos amigos
E muito dinheiro
Mas quando morre nada pode levar
A multidão o levará para o cemitério
E dali pra frente
O caso fica mais sério.
Não terá mais ninguém
Para o acompanhar.
Mas o tempo todo ele sabia
Que depois da morte
Ia seguir sozinho para o juízo final
Mas não se preparou
Quando era preciso.
Desculpa eu não tenho
Nada contra o seu viver
Estou apenas cumprindo ordens
Esse é o meu dever
Viver bem na vida
E se preparar para a morte
É a pura verdade de todos.

Produção de Textos!


O mundo e eu.


por: Eudes Gomes da Silva
núcleo I



A chuva cai
Em tarde ensolarada
Noite que desce estrelada
Poesias que não rimam com nada
E carinho pela pessoa amada.



Leio o que não posso ver
Sinto o que não posso ter.
Tenho fé onde eu não posso querer
Amo apenas por crer.

Tenho emião exaltada
As vezes pens em nada
Não consigo nem entender
Essa imensa estrada.

O mundo ainda irá existir
Encanto dessa terra eu não partir
Pois meu coração pulsa e arde
Pla mulher que da minha vida faz parte.

E o badalar do sino
Me lembra de quando eu era menino
Que para ser feliz.
Basta ter amor e carinho.
Meu Santo Pecador

por: Eliane Bezerra da Silva
Turma E - núcleo I


Você é meu santo pecado
O inferno do meu céu
A paz da minha guerra
O doce do meu mel
O sol da minha tempestade
O alívio da minha dor
A mentira da minha verdade
O perfume da minha flor
A prisão da minha liberdade
O motivo da minha paixão.
Neu doce e eterno amor.
O dono do meu coração!

25 de abr de 2010

Produção de Textos!



A História do Brasil

A história do Brasil,


De uma forma diferente,


Cabral saiu a velejar


Esse mar de água ardente.


Ao chegar naquela ilha


Viu um povo diferente


Perguntou ao companheiro:


_Onde estamos realmente?


-Estamos no Brasil


Onde tudo é diferente


As árvores são mais verdes


E o povo mais contente.


_Os pássaros tem muitas cores


As águas são cristalinas


O sol brilha mais forte


Nessa terra que ilumina.



Autor: Adeilton Miguel da S. Leite





O homem desconfiado



Meu Deus que vida é essa a minha?


Não posso sair na rua que sou observado


Trabalho o dia todo como pedreiro


E os meus vizinhos me chamam desocupado


À noite vou à casa da minha namorada


No meu trabalho esses dias, levei nome de viado


_Não vai participar do bolão?


Pergunta o amigo


_Eu não pra ser roubado?


_Você tem medo de tudo?


_Não é medo,


só sou um pouco desconfiado.


Autor: José Washington Alves Guimarães





Amor


Meu amor, meu bem querer

Só não caso com você

Porque não quero sofrer

Eu gosto de você

Não sei por quê

Por isso quero lhe dizer

Que quero esquecer você

Mas não será fácil porque

Vou ver você

Por isso é melhor eu morrer.

Autor: Edvaldo da Silva Cordeiro





Música

Eu gosto de música

Também de brincar

Gosto do Zezé di Camargo

As músicas escutar

E de acompanhar

O Zezé cantar.

Autora: Cíntia Costa Pedroza